VITOR MORAES
-

Mixador e editor de som nascido em Florianópolis/SC. Formado em Produção Sonora pelo curso de Música da Universidade Federal do Paraná (Curitiba, 2010) e com especialização em Studio Sound Engineering pela Alchemea College (Londres, 2012), mudou-se para São Paulo em 2013. Na capital, teve uma breve passagem pelo estúdio Amplimix (Eduardo Hamerschlak), onde trabalhou como assistente de edição de som em longas, séries e programas para televisão. Meses depois foi contratado pela Effects Filmes (Miriam Biderman, Ricardo Reis), onde trabalhou por 5 anos, atuando em mais de 50 longas-metragens como “Que horas ela volta?” (Anna Muylaert), “Meu Amigo Hindu” (Hector Babenco), “Era o Hotel Cambridge” (Eliane Café), "A Divisão" (Vicente Amorim), "Araña" (Andrés Wood), "Laços: Turma da Mônica" (Daniel Rezende), além das séries "Carcereiros" (Fernando Bonassi) da GLOBO e "A Vida Secreta Dos Casais" (Bruna Lombardi e Kim Riccelli) da HBO, entre tantos outros projetos. Nos anos em que trabalhou no estúdio, cumpriu variadas funções, como editor e técnico de gravação de foley, artista de foley adicional, editor de ambientes e de efeitos, e técnico de gravação de ADR.

Em 2019 sai da Effects Filmes, decidindo focar sua trajetória na mixagem de maneira mais firme. Atualmente presta serviços de mixagem para a 1927 Audio (Alessandro Laroca, Eduardo Virmond), trabalhando em séries como "Irmandade" (Pedro Morelli) e "Ninguém Tá Olhando" (Daniel Rezende) ambos da NETFLIX, "Segunda Chamada"(Carla Faour e Julia Spadaccini) da GLOBO, entre outros.

 

Em paralelo aos trabalhos nos principais estúdios do país, atua como freelancer (mixador, supervisor de edição de som e editor de som). Alguns dos projetos mais recentes em que participou foram o filme "Reação em Cadeia" (Márcio Garcia) e a série "Cidade Invisível" (Carlos Saldanha) da NETFLIX, onde atuou como editor de efeitos; o telefilme "Não Toque Em Meu Companheiro" (Maria Augusta Ramos) em que foi artista de foley e editor de efeitos adicional; além de ter mixado os longas-metragens "Seus Ossos e Seus Olhos (Caetano Gotardo) e "Filho de Boi" (Aroldo Borges).

Em setembro de 2020 cria a VM Sound Boutique como forma de aglutinar e divulgar seus trabalhos, incluindo parcerias com outros editores de som, e com os principais estúdios do país.